Celebração dos 25 Anos do Irpaa pauta a construção da Política Nacional de Convivência com o Semiárido

Irpaa25*Comunicação Irpaa

Durante a Semana a Semana de Celebração dos 25 anos do Irpaa, que aconteceu de 14 a 18 de abril no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro (BA), esteve em pauta a construção da Política Nacional de Convivência com o Semiárido, umas das prioridades do Irpaa nessa fase atual da caminhada em defesa da Convivência com o Semiárido. Para a última mesa de debate foram convidados/as representantes dos poderes legislativos e executivo, tanto em nível local, quanto estadual e federal, isto após painéis, socialização de experiências e discussões ao longo da programação acerca da viabilidade do Semiárido.

Na mesa da sexta (17), quem começou a expor as contribuições foi o representante da Frente Parlamentar pela Convivência com o Semiárido, Miroval Marques, atualmente vereador no município de Uauá. O ex-colaborador do Irpaa evidenciou a importância da articulação das diversas estratégias de luta em prol de políticas públicas para o Semiárido. Na sua fala, Miroval também lembrou da sua formação no Irpaa durante muitos anos, quando esteve envolvido diretamente com projetos importantes para a instituição.

Em seguida, Maria Mirtes Cordeiro, que é conhecedora do trabalho do Irpaa desde quando exercia a função de oficial do Unicef, disse que o grande desafio é transformar a educação. “É preciso que as entidades da sociedade civil pressionem para isso, façam o controle social”, diz ela ressaltando que esta luta deve ser intensificada nos municípios, pois é a via institucional mais próxima. São as entidades da sociedade civil que devem dizer onde e como os recursos públicos devem ser gastos, aponta Mirtes, que atualmente é secretária de finanças da prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco.

Um dos destaques na exposição do representante do Departamento de Assessoria Técnica e Extensão Rural, do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), Marenilson Batista, foi a importância da política de desenvolvimento territorial, o que tem viabilizado a proposição e implementação de um conjunto de políticas públicas apropriadas. Em nome do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), Rocicleide Ferreira, da Secretaria de Segurança Alimentar e Nutricional (Sesan), disse que o importante é como essas políticas chegam até as pessoas, as comunidades, por isso, segundo ela, isso deve ser construído em parceria com a sociedade civil. “O MDS não arreda pé de todas essas políticas públicas que vem construindo em parceria com a sociedade civil”, frisou.

A Embrapa Semiárido, representada na mesa pelo chefe geral, Pedro Gama, lembrou da parceria histórica entre as duas instituições. Segundo ele, desde a fundação do Irpaa há um diálogo que só tem fortalecido a ação em defesa da difusão da Convivência, uma vez que desde a fundação do Irpaa há um entendimento comum do próprio termo “convivência”. Já o Secretário de Desenvolvimento Rural da Bahia, Jerônimo Rodrigues, apresentou o cenário atual pró construção da Política Estadual de Convivência com o Seminário, inclusive informando sobre a discussão acerca da criação de um Fundo de investimentos para o Semiárido.

Após as falas, o público se manifestou trazendo provocações e pontos de vista, a exemplo da necessidade de viabilizar a reforma agrária, preservação e gestão do Rio São Francisco, políticas públicas apropriadas e eficazes que possam reparar a dívida histórica que o Estado brasileiro tem com os povos tradicionais e grupos colocados à margem da sociedade.

“Instituições como o Irpaa foram importantes pra gente chegar nessa mesa agora”, reconhece Rocicleide Ferreira, ao destacar o papel da sociedade civil na construção de caminhos que podem vir a tornar-se uma futura Política Nacional de Convivência com o Semiárido. Para o Irpaa, a defesa da construção desta política em nível estadual e nacional é uma das prioridades nessa fase atual da caminhada, o que, no entendimento da instituição, deve ser feito não apenas no âmbito dos governos, mas, principalmente, garantindo o engajamento e protagonismo das organizações e comunidades que vivenciam na prática a proposta.

Encerramento da Semana

A Semana de Celebração dos 25 anos de trabalho em defesa da Convivência com o Seminário encerrou no sábado (18). Durante a manhã houve uma celebração conduzida pelo Pe João Mendes Sena, da Paróquia de Curaçá, atual vice-presidente do Irpaa. Em seguida foram lançadas publicações institucionais acompanhadas de música e apresentação teatral, finalizando assim momento que aconteceu no Centro de Formação D. José Rodrigues.

À noite as/os participantes puderam prestigiar o lançamento do CD Chão Brasileiro, de Roberto Malvezzi (Gogó), em parceria com outros/as músicos/as locais. Logo após, a Banda Fé e Axé e Os Caboclos puderam fazer a animação do público, encerrando assim as comemorações em ritmo de festa, com forte destaque para o tradicional forró.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Atitude & Comunicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s