Caminhada chama atenção para o extermínio da juventude negra em Salvador

Promovida no próximo sábado, 26 de agosto, pela CIPÓ – Comunicação Interativa e por organizações dos movimentos negro e social, a ação convoca o poder público a pensar em políticas efetivas de enfrentamento ao problema, que atinge majoritariamente jovens negros/as de bairros periféricos.  

A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado de forma brutal no Brasil, aponta levantamento de 2014 produzido pela Comissão Parlamentar de Inquérito contra o Extermínio de Jovens Negros, do Senado. Entre 1998 e 2012, houve um aumento de 400% no número de homicídios da juventude brasileira, revelam dados do Mapa da Violência 2016. Para chamar a atenção da sociedade e do governo sobre a importância das políticas de enfrentamento à violência contra estes/as jovens, a CIPÓ – Comunicação Interativa realiza no próximo sábado (26/08) a Caminhada “Incomode: contra o Genocídio e Extermínio da Juventude Negra”. O evento tem concentração a partir das 8h, na Praça do Lobato (próximo à Cesta do Povo), e é promovido em parceria com organizações dos movimentos negro e social.

O encerramento da mobilização acontece no final de linha do Uruguai, com a realização de apresentações culturais.  “Por meio da incidência política e ocupação das ruas, queremos dar visibilidade ao extermínio da juventude negra e cobrar do poder público uma atuação efetiva no enfrentamento a este grave problema”, explica Leandro Vilas, um dos coordenadores da CIPÓ. Em Salvador, a juventude representa quase 80% das vítimas de homicídios por armas de fogo, revelam dados também extraídos do Mapa da Violência 2016.

A Caminhada integra as ações do Projeto Juventude Negra e Participação Política, desenvolvido pela CIPÓ em parceria com a organização Terra dos Homens.  A iniciativa prevê também a produção de monitoramentos de políticas públicas de enfrentamento à violência e ao extermínio de jovens no Subúrbio Ferroviário, elaborados por garotos e garotas com idades entre 15 e 29 anos. O levantamento aponta que as abordagens policiais inadequadas, os abusos de autoridade, as ameaças e práticas violentas – cometidas inclusive em ambiente escolar – são algumas das situações comumente vivenciadas por jovens negros/as na região. O monitoramento foi realizado a partir de escutas e ações formativas em escolas públicas. “Seja pela violência psicológica, física ou pela ação final da bala, é muito comum obter relatos de violências, que se destacam de diversas formas, seja pela falta de direitos constitucionais básicos, como o de ir e vir, ou pela ocorrência de crimes brutais”, pontua o educador do Projeto, Eduardo Machado. De acordo com ele, dados de homicídios da Secretaria de Segurança Pública da Bahia mostram que o Lobato, bairro do Subúrbio Ferroviário onde acontece a formação dos/as jovens participantes do Projeto, se destaca como uma das localidades mais violentas do território.

SERVIÇO:

O QUÊ: Caminhada Incomode: contra o Genocídio e Extermínio da Juventude Negra.
QUANDO: 26 de agosto de 2017 (sábado), a partir das 8h.

ONDE: Percurso daPraça do Lobato (próximo à Cesta do Povo) até o final de linha do Uruguai.

SUGESTÕES DE FONTES DE INFORMAÇÃO:

– Leandro Vilas

Coordenador da CIPÓ – Comunicação Interativa

Tel.: (71 3503-4477 / 98187-3769)

– Eduardo Machado

Educador do Projeto Juventude Negra e Participação Política | CIPÓ – Comunicação Interativa

Tel.: (71 98181-2404)

– Milena Oliveira

Comunicadora da CIPÓ – Comunicação Interativa

Tel.: (71 3503-4477 / 98803-9883)

 

Deixe um comentário

Arquivado em Atitude & Comunicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s