MST: Em memória de Orlando e Rodrigo, cultivamos a vida!

Por Luana Rêgo
Da Página do MST

O dia 8 de dezembro de 2020 foi marcado pelo resgate da memória e da vida de valiosos companheiros de luta no Brasil e, especialmente, na Paraíba.

Além de lembrar dos mil dias sem respostas sobre o assassinato de Marielle Franco, neste dia nós do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na Paraíba (MST-PB) também resgatamos memória de dois companheiros de nosso estado que, assim como Marielle, foram vítimas da ganância e da injustiça que ainda predomina em nosso país. Orlando da Silva e Rodrigo Celestino foram assassinados em 2018 no acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra, onde residem hoje cerca de 350 famílias.

Os mandantes do crime estão presos, aguardando julgamento, mas os executores ainda estão soltos. De acordo com as investigações, a principal causa do crime teria sido a disputa por uma área antes destinada à extração de areia. Por isso, ao rememorar este dia, recuperamos nossa história de luta e de esperança na defesa da Reforma Agrária Popular contra a monocultura e o poderio da mineração em nosso estado.

Durante o ato simbólico realizado no acampamento Dom José, inauguramos uma placa com o famoso lema de Margarida Maria Alves, outra grande lutadora paraibana: “É melhor morrer na luta do que morrer de fome!”. A homenagem ainda contou com a celebração de uma missa, da qual participaram familiares e amigos, e com o plantio de mil mudas de árvores no “Bosque Orlando e Rodrigo”.

Osvaldo Bernardo, coordenador do Movimento dos Atingidos por Barragens da Paraíba (MAB-PB), acompanhou a cerimônia e fez questão de recordar que Orlando foi sempre um homem justo, que amava o MST e que defendia  a importância de lutar contra a exploração de minério e em defesa do meio ambiente.

Segundo Osvaldo, a família de Rodrigo não pôde comparecer ao ato devido aos cuidados com o Covid-19. O que nos lembra também destes tempos trágicos que vivemos, em que a morte se tornou frequente, sobretudo no Brasil, onde o Presidente da República ignora a pandemia e não cuida do povo.

Acreditamos que em meio à dor e às lágrimas a vida renasce e, portanto, neste dia celebramos a esperança. Para nós do MST é momento de recompor a vida, de interligar a existência humana com a natureza. Momento de recompor os valores da solidariedade humana, da igualdade de gênero, de raça e etnia, de recompor, enfim, a nós mesmos e o ambiente que habitamos. Por isso, neste dia 8 de dezembro, plantamos  árvores. Pois estamos certos de que enquanto nós as cultivamos, elas nos cultivam de volta.

O bosque Orlando e Rodrigo representa a recomposição da vida. Plantar árvores é plantar vida, é cuidar da terra, recuperar o ar, fazer ressurgir os rios e sombras. E assim o sol brilhará para fazer com que da terra emane o alimento que combaterá a fome e nos fortalecerá na luta permanente em defesa da vida.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Atitude & Comunicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s